Sobre                        Contato                        Arquivo

O aumento do salário mínimo nos governos FHC e Lula

José Roberto Afonso, 04/07/04

Para avaliarmos quanto foi de fato o aumento do salário mínimo devemos levar em consideração a variação dos preços entre os períodos onde foi concedido o reajuste do mínimo.

Há consenso de que o melhor índice para medir a variação do custo de vida dos trabalhadores que ganham salário mínimo é o INPC do IBGE.

Levando em consideração tal índice é inequívoco que o Governo FHC obteve melhor performance que o Governo Lula.

Entre maio de 1995 e abril de 2002, o salário mínimo dobrou: passou de R$100,00 para R$200,00. Ou seja, houve um aumento de 100% do mínimo, sem considerar os efeitos da inflação.

Nesse mesmo período, os preços variaram em 67,6%.

Confrontando a variação do salário mínimo com a inflação, verificamos que o aumento nominal do mínimo concedido ao longo de todos os anos do governo FHC (100%) foi capaz de repor as perdas sofridas pelos trabalhadores em virtude da inflação (67,6%) e ainda sobraram recursos, o que significa que tais trabalhadores tiveram um ganho real de 19,3%.

Já nos dois reajustes de salário concedidos pelo Governo Lula – em abril de 2003 e maio de 2004 – também foi observado que o aumento nominal do mínimo também foi capaz de repor as perdas sofridas pelos trabalhadores em razão da inflação, mas o ganho real foi bem modesto se comprado ao proporcionado pelo Governo FHC.

Através dos dois reajustes de salário concedidos pelo Governo Lula (em abril de 2003 e maio de 2004), o salário mínimo passou de R$200,00 para R$260,00, o que representou um aumento de 30% nominal. Porém, a variação dos preços acumulada no período anterior ao reajuste (entre abril de 2002 e maio de 2004) – 26,77% - foi quase da mesma magnitude do aumento nominal do mínimo, o que significa que os trabalhadores obtiveram um ganho real de salário relativamente pequeno – cerca de 2,55%.

Em resumo, no Governo FHC o salário mínimo, avaliado a preços de maio desse ano, passou de R$212,5 (maio de 1995) para R$253,5 (abril de 2002), o que representou um ganho de 19,3% para os trabalhadores. No Governo Lula, os R$253,5 herdados do último reajuste concedido pelo seu antecessor se transformaram em R$260,00, representando um ganho real de apenas 2,55% para os trabalhadores que ganham salário mínimo.


Gráfico 1
O aumento do salário mínimo nos governos FHC e Lula
image
Fonte: Tabela 1


Tabela 1
Os aumentos de salário mínimo nos Governos FHC e Lula

image
Elaboração Própria. Fonte Primária: Ipeadata
(A) = Inflação acumulada entre os meses de reajuste do mínimo (INPC)
(B) = Aumento nominal do salário mínimo
(C) Aumento Real do salário mínimo


Tabela 1A
Salário Mínimo Nominal e Real nos Governos FHC e Lula
image
Elaboração Própria. Fonte Primária: Ipeadata
1/ A preços de maio de 2004. Valores atualizados pelo INPC.

economia ·
Enviar   Imprimir  

Corrupção de Sarney a Lula

image O ebook Corrupção de Sarney a Lula pode ser baixado gratuitamente em três formatos: PDF (para imprimir), EPUB (para iPad) e MOBI (para Kindle). Uma versão em inglês (capa acima) está a venda na Amazon.com.

Posts recentes


Companheiros de viagem

"Você não pode impedir as pessoas de estarem certas pelas razões erradas... Esse medo de se descobrir em más companhias não é uma expressão de pureza política; é uma expressão de falta de autoconfiança"

Quando o carnaval chegar

O eleitor típico de Dilma a esta hora está em casa, nas áreas mais pobres, menos conectadas do país. O eleitor típico de Aécio está voltando da manifestação de protesto de anteontem ou/e pensando em ir à próxima.

Currículo impecável

Do ponto de vista de Dilma e do PT, José Eduardo Cardozo deve ser mesmo o homem certo para garantir que o escândalo do petrolão seja investigado "doa a quem doer".

Três em um

Num artigo na Folha hoje, "Supremo equívoco", o advogado-geral da União, Luís Adams, conseguiu encaixar três equívocos graves em uma única frase.

Só sob pressão

Se quisermos que o PSDB avance, vamos ter que empurra-lo de fora e de baixo. Vamos, quem? Nós, filiados, simpatizantes, eleitores que não somos políticos nem militantes profissionais.

Cavaleiro da Esperança

A única coisa errada que eu consegui achar no discurso de Aécio Neves no Senado foi o cenário. O Congresso Nacional, infelizmente, virou o túmulo da política.

Torcida organizada

Impressionante como o "spin" do PT e coadjuvantes fucionou bem para torcer o significado do pedido de auditoria dos sistemas eleitorais e das manifestações anti-PT. Impressionante, mas não surpreendente.

La garantia soy yo

É bom que o PSDB e outros partidos acordem e passem a exigir mais transparência do TSE. A burocracia do tribunal, com respaldo dos ministros, impede a auditagem para valer dos sistemas de votação e totalização. A regra democrática, na relação entre poderes, é confiar fiscalizando.

Difamação 2.0

Lula descomposto, puxando o coro de impropérios dos companheiros num comício em Belo Horizonte pode ser o ponto mais baixo desta campanha (ou não: eles ainda têm uma semana para mostrar o seu pior), mas não é um ponto fora da curva.

Apocalipse agora e sempre

Minha mulher sonha em visitar Jerusalém. Eu gostaria de acompanha-la. Mas temos medo de ir. E não temos razão para acreditar que o perigo diminua no nosso tempo de vida.

Olho na urna

Na mesma medida em que a derrota do PT vai ficando mais provável, a oposição deveria olhar com mais cuidado a segurança do sistema eletrônico de votação.

Não entre nessa fria

Boas ideias de Aécio Neves em entrevista à Folha. Com uma exceção importante: cinco anos de mandato para todos os cargos com coincidência de mandatos é ruim.

Deu chabu

O Brasil já gastou R$ 918 milhões numa parceria com a Ucrânia para o lançamento de satélites, sem perspectivas de lançar um traque sequer.

Lost in edition

Lendo o título e subtítulo e olhando a foto desta matéria da Economist, dá para pensar que a baixa produtividade da economia tem a ver com a preguiça do trabalhador brasileiro. No texto, a história é outra.
Mais posts